CINE-CLUBE da ilha Terceira realiza o Cine Atlântico 2017 Mostra de cinema português – Mar e ilhas

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +
O Cine-Clube da Ilha Terceira leva a efeito, entre os dias 16 a 19 de novembro, a segunda edição do CINE ATL NTICO 2017 MOSTRA DE CINEMA PORTUGUÊS – MAR E ILHAS, cuja programação está a cargo do jornalista, crítico de cinema e programador José Vieira Mendes.

Esta mostra, que ocorrerá na sala de cinema da Sociedade Filarmónica de Instrução e Recreio dos Artistas, na ilha Terceira, revela alguns dos filmes portugueses mais marcantes de 2017, como “Al Berto”, uma parte da vida de um dos nossos poetas malditos, bem como outros que foram apresentados e que ganharam prémios em alguns dos mais importantes festivais nacionais e internacionais de cinema (“A Fábrica de Nada”, “Coração Negro” e o filme-ensaio “Treblinka”).
Como se trata de uma mostra que é novamente o ponto de partida para um futuro festival internacional de cinema sobre o Mar e as Ilhas (viagens e aventuras), este tema está presente em três filmes diametralmente opostos do ponto de vista estético e das intenções artísticas, mas de grande qualidade: uma cópia restaurada de um clássico dos filmes mais representativos do cinema de autor e do novo cinema português (“Mudar de Vida”, de Paulo Rocha); um filme assumidamente ‘comercial’ e suspense, que procura fazer bilheteira e trazer mais espectadores às salas para ver cinema falado em português (“Perdidos”, de Sérgio Graciano); e a adaptação de uma das maiores aventuras da história da literatura portuguesa (“Peregrinação”, de João Botelho). Integra ainda dois extraordinários documentários: um sobre a investigação do passado da repressão da ditadura do Estado Novo (“Luz Obscura”, de Susana de Sousa Dias) e outro que é a história verdadeira que faltava contar sobre um dos mais raros cineastas portugueses da atualidade (“Nos Interstícios da Realidade — O Cinema de António de Macedo”, de João Monteiro), que fez muitos filmes apreciados pelo público e quase sempre rejeitados pela crítica. Esta trata-se de uma sessão muito especial de homenagem ao realizador António de Macedo, recentemente falecido, e que merece ser recordado, neste momento ainda de luto para o cinema português.
O Cine-Clube da Ilha Terceira contará com a presença de realizadores, produtores e jornalistas que se deslocarão especificamente para esta mostra, a qual tem o apoio do Governo dos Açores, das câmaras municipais de Angra do Heroísmo e Praia da Vitória, da Junta de Freguesia da Sé, da Sociedade Filarmónica de Instrução e Recreio dos Artistas, da Associação Cultural Burra de Milho e do Clube Auto.

Jorge Bruno | CCIT

Share.

About Author

O Cine-Clube da Ilha Terceira (CCIT) é uma associação de natureza cultural, sem fins lucrativos, fundada em 1977 por um grupo de cidadãos interessados em proporcionar o visionamento de obras cinematográficas na ilha Terceira.
Após um período de vários anos marcados por uma pujante atividade, o CCIT conheceu progressivamente uma diminuição da sua dinâmica, o que conduziu ao encerramento das suas atividades.
No ano de 2013, em resultado da iniciativa e do empenho de um conjunto de amantes do cinema, o CCIT foi reativado, dando-se início a um novo ciclo da sua existência. É ainda neste contexto de refundação do CCIT que a sua atividade no tempo presente fica marcada.

Comments are closed.